QUE ADORAÇÃO É ESTA?


Se um determinado cântico só contém poesia secular, folclore regional, canção popular e coisas semelhantes, então que não se diga que isso é um hino “ao Senhor com graça no coração” - Cl. 3.16.
       Um adorador (levita) é um verdadeiro teólogo musical. Ele tem o prazer na Lei do Senhor e nela medita de dia e de noite. Entretanto, podemos ter a certeza de que grande parte dos ‘adoradores’ passa dias e até semanas sem sequer abrir sua bíblia, outros, nem bíblia possuem. Será que esta ‘adoração’ tem o poder de chegar até ao trono de Deus? Partindo de alguém que não ama a palavra de Deus?
Ao analisarmos as músicas de hoje, constatamos que, a maioria dos crentes, simplesmente, ouve as músicas, umas com um ritmo bem acelerado, outras, com um ritmo bem mais lento. E desta forma, um “jazz” aqui, um “forró”, um “samba” ali, um “pop” ou um “rock clássico” acolá. E um grupo de pessoas que apreciam determinado estilo musical, logo diz: “este hino é bonito”, ou “este hino é de crente”, mas “aquele não é de crente”, ou ainda, “quem já se viu cantar forró na igreja?”.
        Estamos, na maioria das vezes, nos esquecendo das letras. Valorizamos até demasiadamente, posso assim afirmar, os estilos e desprezamos por completo a importância que há nas letras cantadas. Criticamos até demais, determinados ritmos, só porque não o apreciamos, e não damos conta das “barbáries” que cantamos nas nossas igrejas, que até “agridem” a pessoa do nosso Deus.
        São expressões tais como: “És Deus de perto e não de longe”, mas nós bem sabemos que o nosso Deus é um Deus Onipresente, e tendo convicção disto, escreveu Davi: “Aonde posso ir a fim de escapar da Tua presença? Se subir ao céu, Tu lá estás; se descer ao mundo dos mortos, lá Tu estás também” Sl. 139.7,8. Deus é Deus em todos os lugares não importa a distância.
        “A mão que segurou o martelo, era mão de Deus; os cravos que feriram Seu corpo (de Jesus), eram meus e seus”. Deus crucificando o Seu próprio Filho? Em Jo. 3.16 lemos: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho Unigênito...”. E ainda em Rm. 8.32: “...nem mesmo o Seu próprio Filho poupou, antes O entregou por todos nós...”.
      Deus não segurou o martelo da crucificação. Ele entregou Jesus Cristo para que fosse crucificado pelos homens. Vejamos, na Bíblia, quem crucificou Jesus: “A Este (Jesus) que vos foi entregue (vimos isto no versículo anterior) pelo determinado conselho e presciência de Deus, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos” - At. 2.23.
      Eu gosto da Nova Tradução na Linguagem de Hoje, quando esta explica: “Deus, por Sua própria vontade e sabedoria, já havia resolvido que Jesus seria entregue nas mãos de vocês. E vocês mesmos O mataram por mãos de homens maus, que O crucificaram”.
      Segundo as Escrituras, Jesus foi crucificado pelas mãos de injustos, por homens maus. E agora eu lhe pergunto: Deus, por acaso, é mau ou injusto? A mão que segurou o martelo, NÃO eram as mãos de Deus.
        “Em Sua presença até a tristeza salta de alegria”. Se estiver saltando de alegria já não se trata de tristeza, a tristeza já foi retirada, pois na presença do Senhor há abundância de alegrias, conforme nos escreveu o salmista – Sl. 16.11.
        Estas são algumas das “barbaridades” que ouvimos, e até cantamos também.
        De um verdadeiro adorador, não se exige tão somente a arte musical, mas também a correção doutrinária da Palavra de Deus; ele deve ser um “teólogo” que canta o conhecimento verdadeiramente Bíblico. Mas infelizmente, como consequência do esfriamento do amor à Palavra de Deus, as músicas de hoje, têm sido substituídas por imitações ridículas e heréticas. Estão fazendo música pra vender e não pra adorar a Deus.
Compartilhar Google Plus

Autor MOISÉS DUARTE

    Blogger Comentario
    Facebook Comentario

0 Comentários:

Postar um comentário

DEIXE AQUI O SEU COMENTÁRIO, E E-MAIL, QUE SEMPRE QUE POSSÍVEL EU RETORNAREI A SUA MENSAGEM. QUE DEUS TE ABENÇOE

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial